[vc_row type=”vc_default” full_width=”stretch_row” full_height=”yes” equal_height=”yes” parallax=”content-moving” parallax_speed_bg=”3″][vc_column][vc_single_image image=”4163″ img_size=”full”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_column_text]Os dias 7, 8 e 9 de julho serão marcados por novos e estimulantes encontros em Brumadinho, a 60 quilômetros de Belo Horizonte (MG). Dos acordes suingados de Jorge Ben Jor com as cores marcantes da “Magic Square”, do artista plástico Hélio Oiticica (1937-1980), servindo de pano de fundo; das tranças cor-de-rosa de Karol Conka com as tranças acobreadas de Tunga; dos aficionados por arte com os que produzem — e frequentam — os melhores shows e festas do Brasil. A confluência ocorre no Inhotim, o maior e mais incrível museu a céu aberto do mundo, onde será realizada a segunda edição do MECAInhotim. Quem foi no ano passado, em novembro, sabe que se trata de um programa imperdível para toda a família.
“O cenário idílico do Inhotim influencia em toda a experiência do MECA. Por exemplo, ter o Jorge Ben Jor cantando ‘País Tropical’ cercado por palmeiras no meio dos jardins do museu será um momento especial”, diz Rodrigo Santanna, sócio-diretor do MECA. Além dos headliners, o evento que no ano passado reuniu Caetano Veloso, Liniker e Jaloo conta agora com alguns dos principais representantes da cena indie nacional, caso de Terno Rei, Lia Paris, Moons, Balako, Ventre e Lumencraft. Entre atrações estrangeiras estão os DJs Joakim, da França, e Pional, da Espanha. Expoente da música eletrônica mundial, Pional já foi responsável por mixar faixas de grupos como o The xx.
A seleção musical, segundo Santanna, é uma forma de dialogar com o espaço e se relacionar com um ambiente que traduz o melhor do nosso país. Mantém também a vocação do MECA como radar da cena cultural global. Ao longo de sete anos, a plataforma multicultural já trouxe ao Brasil bandas como Two Door Cinema Club, AlunaGeorge e Vampire Weekend antes mesmo de elas serem escaladas para os maiores festivais do planeta.
Com um dia a mais na programação em relação ao ano passado — desta vez o evento ocorre de sexta, 7, a domingo, 9 —, a ideia é que durante o dia as pessoas possam curtir o parque e o acervo do museu, que tem mais de 1.300 obras e um jardim botânico incrível, participar de workshops, assistir a performances artísticas e curtir as day parties. No final da tarde e à noite, as cerca de 7 mil pessoas esperadas para os três dias de festival poderão assistir aos shows e explorar uma agenda com palestras sobre temas que envolvem arte, moda, gastronomia, tecnologia e conhecimento. “Vamos trazer para o Inhotim os maiores pensadores do mundo. E será junto com o MECA”, disse Bernardo Paz, fundador do Inhotim.
Entre os convidados para os talks e workshops estão o diretor criativo da Vice Brasil, Gabriel Klein; a fundadora da Mesa & Cadeira, Barbara Soalheiro; o diretor da escola de atividades criativas Perestroika, Felipe Anghinoni; o sócio-fundador da empresa de consultoria Mandalah, Lourenço Bustani; Monique Dardenne e Claudia Assef, fundadoras do Women Music Event; a ativista e empreendedora Carlota Mingolia; a fundadora da Olabi Makerspace, Gabriela Agustini; Gian Martinez, criador da curadoria de vídeos online Winnin; Pedro Garcia, da plataforma de financiamento coletivo Queremos!; entre muitos outros.
O MECAInhotim só é possível por causa do apoio de marcas como Farm, Terra, Converse, Melissa, Ray-Ban, TNT, Stella Artois e Tanqueray .
[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]