[vc_row type=”vc_default” full_width=”stretch_row” full_height=”yes” equal_height=”yes” parallax=”content-moving” parallax_speed_bg=”3″][vc_column][vc_single_image image=”3591″ img_size=”full”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_column_text]Até pouco tempo, Miranda Hobbes era a personagem que ninguém queria tirar num teste de personalidade de Sex And The City. Para a colunista do Man Repeller Harling Ross, isso já é coisa do passado: ela acredita piamente que, se a série de 1998 — que completou 19 anos nesta terça (6/6) — tivesse estreado em 2017, a advogada de humor ácido seria a protagonista em vez da sonhadora cronista Carrie Bradshaw. “Carrie só diz o que os outros querem ouvir. (..) Ela é o equivalente a uma conta de Instagram super-editada”, escreve. “Miranda, por outro lado, nunca tenta esconder sua essência. Ela diz a verdade, doa a quem doer”. Ross ainda argumenta que Miranda tem o “realness” que as pessoas buscam hoje para se identificar com alguma marca ou personalidade. Verdade ou não, é no mínimo divertido imaginar como seria SATC protagonizada pela ruiva… Certamente, ela não apareceria de tutu na abertura.
Saiba mais: Man Repeller[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]