[vc_row type=”vc_default” full_width=”stretch_row” full_height=”yes” equal_height=”yes” parallax=”content-moving” parallax_speed_bg=”3″][vc_column][vc_single_image image=”5485″ img_size=”full” alignment=”center”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_column_text]Um dos melhores presentes que a gente ganhou esta semana é essa parceria potente de Elza Soares e Pitty. As duas acabam de lançar “Na Pele”, um dueto poderoso que começou a florescer em 2014.
“Eu sempre tive muita vontade de fazer alguma coisa com Elza, por ser uma mulher que admiro totalmente, pela carreira, vida, postura e energia. Compus “Na pele” durante a produção do “SETEVIDAS”. Mas naquele momento eu senti que essa música não pertencia àquela obra e deixei ela ‘descansar’. Guardei e fiquei com ela na cabeça esse tempo todo. Acho que determinadas músicas precisam de um tempo para florescer e encontrar seu espaço no mundo. Faço isso com muitas composições, deixo ‘descansar’, meditar. E aí um dia isso soprou na minha orelha, ‘Elza e Na pele’. Mandei uma demo da música dizendo que ela fizesse o que tivesse vontade; gravasse no disco dela, cantasse no show, o que ela quisesse, que a música era dela. E ela sugeriu de gravarmos juntas, o que me deixou imensamente honrada. Cada palavra dessa letra na boca dela adquire um significado maior e mais profundo; eu escrevi essa música exatamente para Elzinha, eu só não sabia disso naquele momento”, contou Pitty sobre o encontro em um comunicado oficial.
Elza relembra: “quando recebi ‘Na Pele’, foi na pele mesmo que senti. Me arrepiei. Identificação total, cara. Quando li o trecho ‘o olhar tentado e atento. Se essas são marcas externas, imagine as de dentro’. Ali tomei coragem e escutei, enlouqueci. Pitty é doce e rocha ao mesmo tempo. É como se de algum modo eu me enxergasse no olhar dela, uma Elza lá de trás. Estranho é que quando ela me olha, sinto como se enxergasse uma Pitty lá da frente. A música selou essa conexão maluca”. Vem ouvir!

Saiba mais: Rolling Stone[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]