[vc_row type=”vc_default” full_width=”stretch_row” full_height=”yes” equal_height=”yes” parallax=”content-moving” parallax_speed_bg=”3″][vc_column][vc_single_image image=”6363″ img_size=”full” alignment=”center”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_column_text]Não sabemos bem se a gente aprende ou se já nasce sabendo o poder da música, mas a grande verdade é que a gente escolhe algumas faixas de acordo com o nosso humor — e há sempre aquelas canções que mudam completamente o nosso estado de espírito.

Bem, acontece que a ciência resolveu apurar melhor essa sabedoria popular a fim de descobrir a música mais “alegre” do mundo, e o resultado não poderia ser mais certeiro: “Don’t Stop Me Now”, do Queens.

Quem valida a pesquisa é o neurocirurgião Jacob Jolij, que analisou 126 faixas de um período de 50 anos. Com a coletânea em mãos, Jolij aplicou testes em cerca de 2 mil pessoas e elaborou uma seleção menor.

A vencedora é aquela que fazia os batimentos cardíacos aumentarem mais depressa — bem difícil competir com Fred Mercury nesse quesito, né?

Na opinião do neurocirurgião, a música tem esse efeito “excitante” para o cérebro por conta da combinação certeira de letra e batida.[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]