[vc_row type=”vc_default” full_width=”stretch_row” full_height=”yes” equal_height=”yes” parallax=”content-moving” parallax_image=”2882″ parallax_speed_bg=”3″][vc_column][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_column_text]O preço da beleza vai muito além daquele mostrado na etiqueta, pelo menos quando falamos de salto alto. De acordo com a podóloga Dr. Jacqueline Sutera, optar por calçados que mantém nossos calcanhares distantes do chão mexe como a distribuição do peso do nosso corpo, que passa a se concentrar, erroneamente, na ponta dos pés, na região próxima aos dedos. Além do caminhar prejudicado, isso afeta diretamente o quadril e os joelhos, que passam a ser projetados para frente — e isso ecoa lá na coluna, que sofre com essas mudanças forçosas e nada saudáveis. Ciente de que boa parte das mulheres não podem ou não querem simplesmente abdicar dos saltos altos, Jacqueline pondera que o ideal é a moderação. Segundo a especialista, o melhor é alternar os calçados, nunca repetindo a altura de um salto por dias consecutivos — mas o melhor mesmo é ter os pés coladinhos no chão, inclusive o calcanhar.
Saiba mais: Business Insider
[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]