[vc_row type=”vc_default” full_width=”stretch_row” full_height=”yes” equal_height=”yes” parallax=”content-moving” parallax_image=”1981″ parallax_speed_bg=”3″][vc_column][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_column_text]Da próxima vez que o Silvio Santos lhe oferecer barras de ouro, peça sua fortuna em parmesão – sim, o queijo mesmo. Embora a joia italiana não seja tão valiosa quanto o bom e velho ouro, sua liquidez é incomparável; tanto que um banco na região de Reggio Emilia oferece a seus clientes um serviço pra lá de inusitado: um cofre especial para proteger a delícia salgada. Inventado nessa mesma área da Itália, nos monastérios da Idade Média, o Parmigiano Reggiano, vulgo parmesão, custa 350 euros por peça, e é um dos “bens” mais roubados dali. O alto valor do queijo faz dele um dos mais imitados, falsificados e traficados do mundo. Não à toa movimenta um mercado de 2 bilhões de euros anualmente – cifras quase tão salgadas e apetitosas quanto o queijo em si.
Saiba mais: G1[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.