[vc_row type=”vc_default” full_width=”stretch_row” full_height=”yes” equal_height=”yes” parallax=”content-moving” parallax_speed_bg=”3″][vc_column][vc_single_image image=”6417″ img_size=”full” alignment=”center”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_column_text]Símbolo de amor e compromisso, as alianças podem ser feitas em diferentes formatos e em diferentes materiais. Algumas têm pedras, outras inscrições — e há quem prefira tê-las lisas.

Mas toda a “perfumaria” não muda a função do anel, um lembrete à sociedade ao redor de que aquela mão ali está segurando a mão de outro alguém nessa longa jornada da vida.

Pois que na era da conectividade e interatividade, o amor não poderia continuar igual, né? Quer dizer, não o amor propriamente dito, mas seus tratados — e suas alianças.

Tempos atrás foi revelada a HB Ring, um anel que permite aos pombinhos acompanharem o batimento cardíaco do amado em tempo real, em qualquer lugar do mundo.

Parece uma maluquice, mas é isso mesmo: quando bater aquela saudade forte do parceiro, basta acionar seu anel e voilà, a batida de seu coração é mostrada na superfície do seu anel e sentida na própria pele.

O modelo de aço inoxidável é vendido por 600 dólares o par, enquanto o de ouro rosa sai por 3 mil dólares o par. Mas, sinto quebrar as asas dos pombinhos: ambas as versões estão esgotadas.

Caso queira sentir o batimento cardíaco do amado, terá de fazer à moda antiga — com um abraço bem apertado. Nada mal também, né?
[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]